Somente Cristo! Somente a Bíblia!

"Fiz uma aliança com Deus: que ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer, tanto para esta vida quanto para o que há de vir." - Martinho Lutero
Carregando...

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Colossenses 2:16 - A Análise (Parte I)


OS SACRIFÍCIOS E A LÓGICA DA ESCRITA.
"Portanto, ninguém vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou  sábados,”       Col. 2:16
Prezado leitor; os adventistas sempre frisam e afirmam que a palavra “sábados” aqui, trata-se dos tais “sábados cerimoniais”; e não do sábado semanal.
Estariam eles realmente certos? Seria mesmo isso que a Bíblia nos mostra?  
Antes de analisarmos a passagem em questão, vejamos dois argumentos adventistas, usados para fundamentar e apoiar sua interpretação:
Um antigo argumento adventista é que:  “se a palavra “sábados” se referisse ao sábado semanal, a palavra não estaria no plural, pois “sábados” indicam vários feriados”.
Acontece que o caso da palavra estar no plural, nada prova a favor dos adventistas, pois na Bíblia, se apresentam outras passagens onde o sábado semanal aparece tanto no plural, como no singular; exemplos: Ex. 31:13, 17 - Lv 19:3 - Lv 23:38 - Is 56:2, 4 - Mt 12:5     Mt 12:10 -  Mc 3:4 - Lc 6:2 - Atos 17:2
Outro argumento, é de que: “o sábado semanal é referente ao passado, como um memorial da criação, e os outros sábados, de Cl 2:16-17, são “sombras das coisas que haviam de vir, sendo referentes ao futuro”.
O problema com esse outro argumento é que as festividades, as solenidades judaicas, também eram relacionadas ao passado. 
Por exemplo, a festa dos pães asmos, relembrava a libertação do Egito (Êx.12:17); e a festa dos tabernáculos (barracas) também se referia ao tempo que o povo viveu em barracas depois de ser libertado da escravidão.(Lev 23:42-44). 
Ou seja, tanto as festas anuais, como o sétimo dia da semana, contém referenciais no passado.
Passaremos agora, a fazer uma pequena análise sobre aquilo que está escrito:
A escrita e suas ligações lógicas. 

Para fazermos uma pequena, mas boa análise sobre os sábados dos quais se refere essa passagem, antes temos que saber exatamente quais eram os tais “sábados cerimoniais”, os feriados anuais dos judeus.

A Lei descreve 7  feriados anuais, são eles:

1. Dia 15 do mês de Abibe (ou nisã) primeiro dia da festa dos pães asmos                     ( Lev. 23:7)

2. Dia 21 do mês de Abibe (ou nisã) último dia da festa dos pães asmos (Lev 23:8)

3. Pentecostes: (50 dias após a páscoa, antes chamada de festa das semanas ou festa da colheita) (Lev23:21)

4. Primeiro dia do 7º Mês (Etanim) festa do ano novo ou Festa das trombetas (Lev 23:23-25)

5. Dia 10 do 7º Mês (Etanim) dia da expiação ou do perdão (Lev 23:27-32)

6. Dia 15 do 7º Mês (Etanim) festa das barracas (tabernáculos) (Lev 23:35)

7. Dia 22 do 7º Mês (Etanim) festa das barracas (tabernáculos) (Lev 23:39)

Os “sábados cerimoniais”  não eram mesmo          “dias de festa”?
A crença adventista procura dar a idéia de que os “sábados cerimoniais” não eram ou não faziam parte dos “dias de festa”. 
Eles fazem um tipo de desmembramento para que esses feriados das festas não se enquadrem na expressão:   “...ou dia de festa” para que assim, esses “sábados rituais” ocupem o lugar do sábado semanal na expressão “sábados” de Cl. 2:16 .
Mas a pessoa que  ler atentamente o capt. 23 de Levíticos, verá que alí estão relacionadas as festas, as solenidades dos Israelitas... 
E verá claramente que esses “sábados anuais” (ou cerimoniais) faziam parte das datas solenes e estavam incluídos dentro, durante os dias de festa...
Vejam por exemplo, Lev 23:6-7 : 
 “e aos quinze dias deste mês é a festa dos pães asmos do senhor; sete dias comereis pães asmos. No primeiro dia, tereis santa convocação; nenhuma obra servil fareis;” (esse dia era feriado; um “sábado cerimonial”, como dizem os adventistas).
Pergunto: primeiro dia de quê?  
O primeiro dia da festa dos pães asmos, o primeiro dia da festa! O primeiro e o último dia da festa, eram feriados anuais. Durante os sete dias da festa, se comiam pães asmos.
O que diz mesmo a passagem acima? Que a festa  durava - era celebrada por sete dias! 
Vemos então, claramente que o primeiro dia e o último, que eram feriados, faziam  parte do período da festa.  O primeiro dia e o último dia da festa.
Se os sábados cerimoniais não faziam parte dos dias de festa, então como que a festa dos pães asmos era de sete dias? A Bíblia não diz que a festa era de cinco dias e que antes da festa tinha um “shabatt” e depois da festa tinha um outro “shabatt”.
Tanto na festa dos pães asmos como na Festa das barracas (tabernáculos), os tais “sábados cerimoniais” eram o primeiro e o último dia de festa.
Nesses “sábados”, havia a santa convocação, que era uma reunião solene onde o sacerdote lia o livro da lei para o povo.
Em Neemias 8:1-12, Esdras leu a lei diante do povo no primeiro dia do sétimo mês, (Festa de Ano novo) que era “sábado cerimonial”. 
E o povo emocionado, chorava enquanto Esdras lia a lei, então ele disse para o povo não chorar, não ficar triste e ir festejar, pois aquele dia era de alegria, um  dia de festa; os levitas fizeram o povo calar o choro e não ficar triste naquele dia e então  o povo saiu a celebrar com grande alegria e a festejar.  Amigo leitor, leia você mesmo Neemias 8:1-12, e confirme...
Observe e compare também Lev. 23:21 com Deut. 16:9-12. 
Então veja que:  a festa da colheita, (ou das semanas, que mais tarde ficou conhecida como pentecostes) era um “sábado cerimonial”, mas também  vemos que nesse dia todos se alegravam e celebravam a festa.
Também vemos no capítulo 7 de João, um assim dito, “sábado anual” (cerimonial) da festa das barracas (tabernáculo), sendo chamado de dia de festa vejam:
João 7:37 : “no último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus...” (leia o capítulo todo e confirme.) 
Não está escrito: o “sábado anual”, e mesmo sendo feriado, ele fazia parte da festa, era um dia da festa.
Aqui, nesta passagem, a palavra usada para o tal “ dia de festa” é  heorte     (heh-or-tay) que significa festival, festividade, festa, feriado.
Levíticos 23:37-38 traz mais um esclarecimento: 
As ofertas
Os adventistas, também alegam que na passagem acima, a palavra: sábados, se refere aos tais “sábados cerimoniais ”, e fazem isso, para ter mais apoio na sua interpretação particular de Cl 2:16. Mas será que eles têm razão?
Vejamos o que a passagem diz:
“São essas as festas fixas do senhor, que proclamareis para santas convocações, para oferecer ao senhor oferta queimada, holocausto e oferta de manjares, sacrifício e libações, cada qual em seu dia próprio,  além dos sábados do Senhor, e das vossas dádivas...”

Ou seja: Moisés relacionou e disse que aquelas eram  as festas fixas nas quais tinham suas ofertas e seus sacrifícios específicos, ALÉM dos sábados  e das outras ofertas voluntárias. 
A passagem já diz: “ofertas, holocaustos e sacrifícios cada qual em seu dia próprio”!
Daí pergunta-se: e quais eram as ofertas dos tais “sábados cerimoniais”?
Em números 28 e 29, está a resposta claramente mostrando que as ofertas e sacrifícios desses tais “sábados cerimoniais” eram os mesmos das suas respectivas festas, pois eles estão relacionados como sendo DIAS CORRENTES DAS FESTAS.                  
Também em Números 28, vemos que as ofertas do dia de sábado (semanal) era diferente das ofertas das festas. Moisés não disse: “são essas as festas fixas do senhor, além dos “sábados anuais” e além dos sábados do Senhor...”
Uma questão de lógica
Ora, se a passagem fala de ofertas das festas, cada qual em seu dia próprio, e se as ofertas dos “sábados cerimoniais” são as das festas, e as ofertas do dia de sábado era diferente das festas, e se a passagem ainda diz além dos sábados do Senhor, é lógico que esses “sábados do Senhor” são os semanais.
Uma pergunta: nessa passagem acima (Lev 23:37-38), onde estão  os “sábados cerimoniais”(anuais)? Não seria na expressão: festas fixas do senhor? 
Lógico, é claro; porque eles faziam parte das festas; as ofertas desses dias eram as das festas. Note que  a passagem fala de ofertas específicas de cada festa.
Aliás, note também que a passagem em questão, diz: “são essas as festas fixas do senhor, que proclamareis para santas convocações”...  E nós vemos que as santas convocações das festas anuais eram nos tais “sábados cerimoniais”,                (expressão adventista).
A passagem  deixa claro que haveriam santas convocações nas festas do Senhor, e para ofertas cada qual em seu dia próprio; e depois diz (v 38): “além dos sábados do Senhor,”
Como que a Bíblia diz que as santas convocações ocorriam para as festas e aqueles dias das convocações não eram “de festa” e sim “sábados cerimoniais”, como diz a doutrina adventista? 
Alguém está completamente errado em seu raciocínio...
Pela Bíblia, fica claro que Lev. 23:38, na expressão “sábados do Senhor” está se referindo aos sábados semanais, e fica claro a separação: festas fixas (anuais já com seus feriados) ...E sábados (semanais).
A Bíblia nunca citou os “sábados anuais” separadamente das festas solenes. Eles se apresentam  como sendo parte delas.
Colossenses 2:16; a seqüência se repete...
Em Cl. 2:16, vemos claramente uma seqüência:

“Portanto ninguém vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa (anuais), ou lua nova (mensais), ou sábados (semanais) que são sombras de coisas futuras...”    
(Parênteses incluídos).
Essa seqüência aparece em várias outras passagens Bíblicas anteriores; veja com atenção esses exemplos:
Ez. 45 : 17 = “...e estarão a cargo do príncipe os holocaustos , e as ofertas de manjares, e as libações ,nas festas (anuais),e nas luas novas (mensais), e nos sábados (semanais), em todas as solenidades da casa de Israel.”
1Cr 23:31 = “...e para cada oferecimento dos holocaustos do senhor, nos                sábados (semanais),nas festas de lua nova (mensais), e nas festas fixas (anuais), perante o Senhor...”                                                                                                                          
2 Cr 2 : 4 = “...e os holocaustos da manhã e da tarde, nos sábados (semanais),nas festas da lua nova (mensais), e nas festividades (anuais) do Senhor ,nosso Deus...”
2 Cr 31 : 3 = “...os holocaustos dos sábados (semanais), das festas de lua nova (mensais) e das festas fixas (anuais), como está escrito na lei do Senhor .”
2 Cr 8 : 12-13 = “Então Salomão ofereceu... e isto segundo dever de cada dia, fazendo ofertas segundo o mandamento de |Moisés, nos sábados (semanais),                        nas luas novas (mensais), e nas três festas anuais, a saber ...
Os. 2 : 11 = “e farei cessar todo o seu gozo ,as suas festas (anuais),as suas                    luas novas (mensais), e os seus sábados (semanais)...”
Ne. 10 : 33 = “e para os pães da proposição e para contínua oferta de manjares e para o contínuo holocausto dos sábados (semanais) e das festas da lua nova (mensais), e para as festas fixas (anuais)...
Essas passagens seguem uma seqüência lógica, clara e inconfundível: 

ANUAIS, MENSAIS, SEMANAIS.
Ou então: 
SEMANAIS, MENSAIS, ANUAIS.

Antes de seguir com a análise, cabe agora aqui uma pergunta (que os adventistas fazem sempre em relação a esse assunto): 
Como se sabe que essas passagens citadas acima, estão realmente falando dos sábados semanais e não dos cerimoniais? 
Pedimos desculpas aos nossos leitores, pois será necessário repetir algumas coisas já abordadas. 
A intenção é deixar essa explicação bem clara; até porque, existem aqueles leitores que tem dificuldades em compreender.
Resposta:
É simples, como no exemplo de Lev. 23:37-38; essas passagens relacionadas acima, estão falando de holocaustos, ofertas e sacrifícios; e como já foi explicado antes, a Bíblia  relaciona os holocaustos, sacrifícios e ofertas exclusivos para cada solenidade. 
Cada festa tinha o seu, com alguma diferença das ofertas das outras festas, e diferente dos oferecidos aos sábados.
Detalhe: Nas passagens acima, os sábados estão citados separadamente das festas fixas e festas da lua nova.
As duas maiores festas começavam e terminavam com uma espécie de “feriado”; e desde o primeiro, até o último dia de festa, as ofertas da festa, eram oferecidas ao Senhor.
Sabendo que  os sacrifícios e  ofertas dos sábados semanais; eram diferentes dos tais sábados das festas,  isso deixa claro que os sábados dos quais falam essas passagens relacionadas acima são; sem sombra de dúvida; os sábados semanais...
Se a passagem fala de ofertas e sacrifícios e se vemos na Bíblia que as ofertas desses tais supostos “sábados cerimoniais” eram as ofertas das suas respectivas Festas, então para que cita-los nos textos?

E voltando à seqüência: SEMANAIS, MENSAIS, ANUAIS; ela aparece em Gal 4:9-11, quando  Paulo, condena esses ritos judaicos  chamando-os de rudimentos fracos e pobres, que só escravizavam, veja:
"Mas agora que conheceis a Deus... como estais voltando, outra vez, aos rudimentos fracos e pobres, aos quais, de novo, quereis ainda escravizar-vos? Guardais dias (sábados) e meses (lua nova), e tempos e anos (dias de festa, sétimo ano, etc.) Receio que eu tenha trabalhado em vão para convosco.” (Parênteses nossos)
Ou será que o Apóstolo Paulo, citou os dias de festa (anuais), a lua nova (mensais),      e na expressão sábados, ele volta a falar de dias anuais, incluídos e já relacionados nas festas fixas em Lev 23? 
Essa interpretação não tem sentido algum...
Outra questão, é que o sábado, quando aparece na Bíblia em passagens onde se fala também ou junto da Lua Nova, vemos que é sempre referente ao sábado semanal.                                                                                   
Observem em:  Ezequiel 46:1-3, Amós 8:5, 2Reis 4:23 e Isaías 66:23
Aliás, vemos que na passagem de Isaías 66:23, que os adventistas frisam tanto, eles nunca se perguntaram se ali, se referia aos tais “sábados cerimoniais”, não é mesmo?? Como este texto eles querem usar para defender seu dogma; eles simplesmente ignoram a distinção que eles mesmo tanto fazem – “Cerimonial x Semanal”.      
É muito importante e interessante notar, que em Ez. 46:1-11 (leia, por favor), existem instruções rituais referentes ao templo, exclusivas para os dias de sábado, para a lua nova, e para os dias das Festas fixas. Notem com isso, como fica claro o sábado (semanal), a lua nova (mensal), e as festas (anuais).
                                                                                                                        
Também destacamos a passagem de Isaías 1:13-14, onde diz:
Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação. As luas novas,   os sábados, e a convocação de assembléias ... não posso suportar a iniqüidade e o ajuntamento solene! As vossas luas novas, e as vossas festas fixas, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer”.
O que devemos entender aqui? Que os sábados citados são os tais “cerimoniais”?  Mas eles já não estão citados na expressão “festas fixas”?
Cl 2:16: “portanto ninguém vos julgue por causa de comida e bebida, ou                              dia de festa (anuais),ou lua nova (mensais),ou sábados (semanais), que são sombras de coisas futuras...” 

 
É impossível negar a repetição da seqüência...


Continua...
E que Deus tenha Misericórdia.          
Décio – um Aprendiz de Cristão.
Extraído do blog Ex-Adventistas.com

Nenhum comentário: