Somente Cristo! Somente a Bíblia!

"Fiz uma aliança com Deus: que ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer, tanto para esta vida quanto para o que há de vir." - Martinho Lutero
Carregando...

sexta-feira, 6 de abril de 2012

A observância dos mandamentos de Deus, Sua Necessidade e Possibilidade

Mas ninguém, posto que justificado, se deve julgar eximido da observância dos  mandamentos [cân. 20]. Ninguém deve pronunciar estas palavras temerárias,  condenadas pelos Padres com anátema: é impossível ao homem justificado observar os  preceitos de Deus [cân. 18 e 22]. "Porque Deus não manda coisas impossíveis, mas  quando manda, adverte que faças o que possas e peças o que não possas, e ajuda a  poder"5. Os seus mandamentos não são pesados (1 Jo 5, 3), o seu jugo é suave e o seu  peso é leve (Mt 11, 30), pois os que são filhos de Deus, amam a Cristo, mas os que o  amam guardam (como ele testifica) as suas palavras (Jo 14, 23), e podem seguramente  executar isso com o auxílio de Deus. Pois, também eles nesta vida mortal, por mas  santos e justos que sejam, caem às vezes pelo menos em pecados leves e quotidianos,  chamados também "veniais" [cân. 23], mas com isto não deixam de ser justos. Pois é  verdadeira e humilde aquela oração dos justos: Perdoai-nos as nossas dívidas (Mt 6, 12).  E assim acontece que os justos tanto mais se sentem obrigados a andar pelo caminho da  justiça, quanto estando já livres do pecado e feitos servos de Deus (Rom 6, 22), vivendo  sóbria, justa e piedosamente (Tit 2, 12), podem progredir por meio de Jesus Cristo, por  quem tiveram acesso a esta graça (Rom 5, 2). Porque Deus, os que uma vez foram  justificados pela sua graça, "não os desampara a não ser que seja primeiro abandonado  por eles"6. Assim, portanto, ninguém deve lisonjear-se com a fé somente [cân. 9, 19,  20], julgando estar pela fé somente constituído herdeiro e que conseguirá a herança  ainda que não padeça com Cristo para ser glorificado com ele (Rom 8, 17). Pois o  mesmo Cristo, (como diz o Apóstolo), embora fosse Filho de Deus, praticou, contudo,  obediência pelo sofrimento, e depois de consumado, se tornou para todos os que lhe  obedecem autor da salvação (Hb 5, 8 s). Por isso o mesmo Apóstolo admoesta os  justificados, dizendo: Não sabeis que os que correm no estádio, correm, sim, todos, mas  um só é que alcança o prêmio? Correi, pois, de modo que o alcanceis. Quanto a mim,  corro, não como quem não tem meta certa, combato não como quem açoita o ar, mas  castigo o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que não suceda que, tendo eu pregado  aos outros, venha eu mesmo a ser réprobo (1 Cor 9, 24 ss). De modo semelhante, fala o  Príncipe dos Apóstolos, S. Pedro: Ponde cada vez mais cuidado em tornardes certa a  vossa vocação e eleição por meio do boas obras, porque fazendo isto, não pecareis  jamais (2 Ped 1, 10). Donde se infere que impugnam a doutrina da religião ortodoxa  aqueles que dizem que o justo em todas as obras boas peca ao menos venialmente [cân.  25] ou, (o que é ainda mais intolerável), merece penas eternas; e [erram] também os que  afirmam que os justos pecam em todas as obras, se, despertando de sua indolência e  animando-se a correr no estádio, pondo seu intento primeiramente na glória de Deus,  olham também para o prêmio eterno [cân. 26, 31], como está escrito: inclinei o meu  coração para executar as vossas justificações, por amor da retribuição (Sl 118, 112); e  de Moisés diz o Apóstolo: que olhava para a remuneração (Hb 11, 26).

A pergunta para exame é: Qual dos seguintes, abaixo listados, não poderia ter escrito o texto acima?

A. Martinho Lutero

B. João Calvino

C. Ellen G. White (Igreja Adventista do Sétimo Dia)

D. O Concílio de Trento (Igreja Católica Apostólica Romana)

E. Charles Spurgeon

Adaptado de Haroldo Camacho em:

Nenhum comentário: