Somente Cristo! Somente a Bíblia!

"Fiz uma aliança com Deus: que ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer, tanto para esta vida quanto para o que há de vir." - Martinho Lutero
Carregando...

domingo, 2 de dezembro de 2007

Bode Emissário

A quem ele representava: Cristo ou Satanás?

O Dia da Expiação entre os israelitas era altamente significativo. Era o dia santo mais importante do ano judaico. A Bíblia, em Levítico, descreve como decorria a cerimônia do dia: "Da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes, para oferta pelo pecado, e um carneiro, para holocausto. Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes e os porá perante o Senhor, à porta da tenda da congregação. Lançará sortes sobre os dois bodes: uma, para o Senhor, e a outra, para o bode emissário. Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte para o Senhor e o oferecerá por oferta pelo pecado. Mas o bode sobre que cair a sorte para bode emissário será apresentado vivo perante o Senhor, para fazer expiação por meio dele e enviá-lo ao deserto como bode emissário" (16.5-10). "Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele" (16.15). "Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e pelo altar, então, fará chegar o bode vivo. Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e envia-lo-á ao deserto, pela mão dum homem à disposição para isso. Assim, aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto" (16.20-22).

Como lemos, o sumo sacerdote tomava dois bodes e, sobre eles, lançava sortes: um tornava-se o bode expiatório e o outro o bode emissário. Sacrificava o primeiro bode, levava seu sangue, entrava no Lugar santíssimo, para além do véu, e aspergia aquele sangue sobre o propiciatório, o qual cobria a arca contendo as duas tábuas de pedra e assim se fazia expiação pelos pecados da nação inteira (Lv 16.15-16). Como etapa final, o sacerdote tomava o bode vivo, impunha as mãos sobre sua cabeça, confessava sobre ele todos os pecados dos israelitas e o enviava ao deserto, simbolizando isto que os pecados deles eram levados para fora do arraial (Lv 16.21-22).

Distorções Doutrinárias

1. Segundo Ellen Gould White, profetisa do Adventismo:

No dia da expiação o sumo sacerdote, havendo tomado uma oferta da congregação entrava no lugar santíssimo com o sangue desta oferta e o aspergia sobre o propiciatório, diretamente sobre a lei, para satisfazer às suas reivindicações. Então, em caráter de mediador, tomava sobre si os pecados e os retirava do santuário. Colocando as mãos sobre a cabeça do bode emissário, confessava todos esses pecados, transferindo-os assim, figuradamente, de si para o bode. Este os levava então, e eram considerados como para sempre separados do povo. (O Grande Conflito, p. 420, 24ª edição - 1980)

Verificou-se também que, ao passo que a oferta pelo pecado apontava para Cristo como um sacrifício, e o sumo sacerdote representava a Cristo como mediador, o bode emissário tipificava Satanás, autor do pecado, sobre quem os pecados dos verdadeiros penitentes serão finalmente colocados. Quando o sumo sacerdote, por virtude do sangue da oferta pela transgressão, removia do santuário os pecados, colocava-os sobre o bode emissário. Quando Cristo, pelo mérito de seu próprio sangue, remover do santuário celestial os pecados de seu povo, ao encerrar-se o seu ministério, Ele os colocará sobre Satanás, que, na execução do juízo, deverá arrostar a pena final. O bode emissário era enviado para uma terra não habitada, para nunca mais voltar à congregação de Israel. Assim será Satanás para sempre banido da presença de Deus e de seu povo, e eliminado da existência na destruição final do pecado e dos pecadores. (Idem, p. 421) (o destaque é nosso).

2. Nos livros de Witness Lee da Igreja Local:

Quando Deus fez com que o Senhor Jesus levasse os nossos pecados na cruz para sofrer o julgamento e a punição de Deus em nosso lugar, Ele também fez com que todos os nossos pecados fossem postos sobre Satanás, a fim de que este arcasse com eles para sempre. Isso é revelado em tipologia na expiação registrada em Levítico 16. Quando o sumo sacerdote fazia expiação pelos filhos de Israel, ele tomava dois bodes e os apresentava diante de Deus. Um era para Deus e devia ser morto para fazer expiação pelos filhos de Israel, enquanto que o outro era 'por Azazel', isto é, para Satanás, para levar os pecados dos filhos de Israel. (Lv 16.7-10, 15-22). Porquanto Azazel está em contraste com Jeová, ele é um tipo de Satanás, que está em oposição a Deus (Lições da Verdade - Nível Um, p. 126, o destaque é nosso).

Duas Heresias

Esse ensino monstruoso encerra duas heresias: a primeira, é que Satanás terá de levar sobre si os pecados dos remidos e expiá-los, tornando-o, assim, co-redentor; e a segunda, que o próprio Satanás terá de ser um dia aniquilado para que os pecados dos crentes sejam também cancelados. Satanás será castigado pelos seus pecados. É isto o que a Bíblia ensina (Mt 25.41). Todavia, não encontramos nenhuma referência ao fato de que nossos pecados serão colocados sobre ele, pois foram colocados sobre Jesus (Jo 1.29; 1 Pe 2.24).

Os que crêem na doutrina do Juízo Investigativo admitem que os crentes, hoje, têm seus pecados perdoados para, só no futuro, terem seus pecados cancelados, e isto quando Satanás tomar sobre si os pecados e for aniquilado dão margem a uma pergunta: Quem é o Salvador dos que assim crêem? O Salvador não é Cristo, mas SATANÁS. Resumindo essa doutrina estranha, temos: Satanás é o próprio salvador, e, por meio de seus sofrimentos, nossos pecados serão cancelados e, não somente nós, mas o próprio Cristo se verá livre do pesado fardo do pecado. Quem ensina essa doutrina substitui a obra perfeita de Cristo na cruz (Jo 1.29; Cl 2.14-17; Hb 10.19,20; 1 Pe 2.24), por Satanás sofrendo por nós e levando sobre si, os pecados do povo. Entendemos que Satanás será castigado com o fogo eterno, mas que nossos pecados e os de todos homens serão colocados sobre Satanás isso é estranho à Bíblia. Os textos citados mostram bem claramente que nossos pecados foram colocados sobre Jesus, que por eles sofreu na cruz do Calvário:

Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!". (Jo 1.29).

Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados (1 Pe 2.24).

É Cristo quem carrega nossos pecados e não Satanás

Na verdade, admitir que Cristo tomará nossos pecados do santuário celestial no final do Juízo Investigativo e os lançará sobre Satanás, implica que seu sacrifício na cruz para remover nossos pecados não foi eficaz. Se Cristo vai lançar nossos pecados sobre Satanás, por que sofreu por eles na cruz? Se, por outro lado, Jesus levou nossos pecados na cruz, como na verdade o fez, por que Satanás deve sofrer por ele?

Mostrando o absurdo do ensino sobre o Bode Emissário como tipo de Satanás, assim se pronuncia certo escritor (na grafia da época): Os pecados dos crentes são lançados no Santuário do Céu e ficam-lhe a pertencer; os pecados do Santuário celestial são transferidos depois para Cristo e tornam-se dEle; estes pecados de Cristo na sua segunda vinda serão 'lançados sobre Satanás e lhe ficarão pertencendo; de modo que, quando ele for aniquilado também os pecados o serão.(O Sabatismo Desmascarado! p. 72).

Tipologia Ortodoxa do Dia da Expiação

1. O Bode Emissário

Pelo fato de ser lançada sorte sobre ambos os bodes, os dois deviam ser sem defeitos. Se o bode emissário representava Satanás, é ele sem defeitos? Não podemos aceitar esse ensino de que o bode emissário represente Satanás. Além disso, encontramos afirmado, por duas vezes, que a expiação dos pecados do povo de Israel era feita pelos dois bodes e não apenas um - o bode expiatório.

Da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes, para OFERTA pelo pecado...(Lv 16.5).

Mas, o bode sobre que cair a sorte para bode emissário será apresentado vivo perante o Senhor, para fazer EXPIAÇÃO por meio dele (Lv 16.10).

2. Um quadro comparativo

· Se o bode emissário não representa Satanás, então quem ele tipifica? Resposta: Levítico 16.22 Assim, aquele bode LEVARÁ sobre si todas as INIQÜIDADES...

· Quem levará as iniqüidades sobre si? Resposta: Isaías 53.11: porque as iniqüidades deles levará sobre si. Levítico 16.21: Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e envia-lo-á ao deserto, pela mão dum homem à disposição para isso. Isaías 53.6: Mas o Senhor faz cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Isaías 53.12: Contudo, ele levou sobre si o pecado de muitos. Isaías profetizou sobre Jesus e não sobre Satanás (Is 53.4-6,11,12, compare com Mt 8.16,17; At 8.32-35).

Se aplicarmos a Satanás as tarefas do bode emissário, então deveríamos ensinar que o diabo faz expiação (Lv 16.5,10). Isto não é verdade, e seria antibíblico ensinar tal coisa. Ainda, pelos tipos, o sumo sacerdote (Cristo) (Hb 2.17) CONFESSARÁ os pecados para o bode emissário (o diabo) (Lv 16.21). Ensinar isso é heresia - e heresia de perdição (2 Pe 2.1-2). Mas existe um argumento muito utilizado por aqueles que ensinam a doutrina do bode emissário como tipo de Satanás. Dizem eles que colocar os pecados sobre o bode emissário é feito depois de terminada a expiação.

Vejamos o que diz a Bíblia:

Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e pelo altar, então, fará chegar o bode vivo (Lv 16.20). Esse texto não indica que a expiação foi feita pelo povo. Ao contrário, indica que a expiação foi feita pelo santuário, a tenda e o altar e não pelo povo.

Depois de ter Arão feito expiação por si próprio e pelo povo de Israel, ele colocava as duas mãos sobre o bode vivo e sobre ele confessava as iniqüidades dos filhos de Israel, as quais eram postas sobre a cabeça do bode emissário, que era então mandado para o deserto para nunca mais voltar ao arraial. O sentido claro, inequívoco é que, tendo a morte do bode expiatório efetuado uma completa expiação dos pecados do povo, a maldição devida a esses pecados era removida para nunca mais alcançar de novo aqueles que os cometeram. O v. 23 revela que Depois Arão virá à tenda da congregação... (isto é, depois das atividades dos vv. 20-21 e 22) preparará o seu holocausto, e o holocausto do povo, e fará expiação por si e pelo povo (v. 24).

Isto posto, não é certo argumentar que a expiação pelo povo estava concluída antes do envio do bode emissário, pois o versículo 21 fala do bode emissário e os versículos 23 e 24 falam da expiação pelo povo, depois do envio para o deserto do bode emissário.

Para Quem Era o Dia da Expiação

Tipos de Expiação:

a. expiação pelo santuário, a tenda da congregação, e o altar (Lv 16.16-20);

b. expiação pelo povo (Lv 16.10);

c. expiação pelo sumo sacerdote (Lv 16.6,24);

Razão da expiação pelo povo

Porque. naquele dia, se fará expiação por vós, para PURIFICAR-VOS; e sereis purificados de todos os vossos pecados (Lv 16.30). Notamos que era purificado o povo e não o santuário. Assim, Cristo purificou o POVO e não o santuário. Vejamos o cumprimento de Lv 16.30.

...depois de ter feito a PURIFICAÇÃO dos pecados (Hb 1.3). Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas cousas referentes a Deus e PARA FAZER PROPICIAÇÃO PELOS PECADOS DO POVO (Hb 2.17).

O tempo da expiação e a purificação

Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão (Hb 4.14). O escritor fala no tempo presente 'tendo' e não há nada que indique uma profecia futura. Usa-se o tempo passado 'que penetrou os céus'.

O Bode Azazel

Um outro problema para essa interpretação errada de que o bode emissário representa Satanás é indicado como tendo apoio em Lv 16.10, onde fica especificado que o bode emissário era enviado para Azazel.

A Bíblia de Jerusalém assim faz constar os vv. 5,10: Receberá da comunidade dos filhos de Israel dois bodes destinados ao sacrifício pelo pecado... Quanto ao bode o qual caiu a sorte 'Para Azazel', será colocado vivo... para se fazer com ele o rito de expiação a fim de ser enviado a Azazel, no deserto.

Se Azazel significa Satanás, como o segundo bode pode ser enviado para si mesmo? Ensinar que Azazel é Satanás, seria enviar Satanás para Satanás, e isto é sem lógica. Consideremos ainda que a expiação não se fazia só pelo bode expiatório, mas também com o bode emissário: Mas o bode, sobre que cair a sorte para ser bode emissário, apresentar-se-á vivo perante o Senhor, para fazer expiação com ele.

A Prisão e o Aniquilamento de Satanás

Segundo Ellen Gould White.

O bode emissário, levando os pecados de Israel, era enviado 'à terra solitária' (Levítico 16.22); de igual modo Satanás, levando a culpa de todos os pecados que induziu o povo de Deus a cometer, estará durante mil anos circunscrito à Terra, que então se achará desolada, sem moradores, e ele sofrerá finalmente a pena completa do pecado nos fogos que destruirão todos os ímpios (O Grande Conflito, p. 489, 24ª edição-1980, o destaque é nosso).

Assim será Satanás para sempre banido da presença de Deus e de seu povo, e eliminado da existência na destruição final do pecado e dos pecadores (ibidem, p. 421).

Como o bode emissário representa Satanás, este cumprirá o seu papel como tal no milênio, quando a terra estará vazia - diz EGW. Entretanto, em Ap 20.1-3, lê-se que a prisão de Satanás é justamente para que não mais engane as nações. Vejamos Apocalipse 20.1-3: Então, vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo... Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, e Satanás, e o prendeu por mil anos; lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos. Depois disto, é necessário que ele seja solto pouco tempo. Agora, como admitir que Satanás estará em prisão circunstancial e a terra vazia se a sua prisão é justamente para evitar que engane as nações que estão sobre a terra? Estaria realmente Satanás só na terra vazia?

Diz ainda Apocalipse 20.7 que Satanás será solto depois de mil anos e sairá a enganar as nações. Que nações poderia ele enganar, se estará isolado na terra vazia? Por fim, sua derrota será definitiva e estará no mesmo lugar onde anteriormente foram lançados a besta e o falso profeta no lago de fogo. Estes dois foram lançados mil anos antes e eles estarão em sofrimento eterno e não serão aniquilados, nem mesmo depois do juízo final.

Vejamos o que diz a Bíblia:

Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta... Os dois foram lançados vivos dentro do lago do fogo que arde com enxofre (Ap 19.20).

O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite (Ap 20.10). Satanás, a besta e o falso profeta serão atormentados para todo o sempre. O mesmo acontecerá com os ímpios (Mt 25.41-46; Ap 20.15): "E, se alguém não foi achado inscrito no livro da vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo." (Revista: “Defesa da Fé” – www.icp.com.br).

Nenhum comentário: