Carregando...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

AS VISÕES DE ELLEN G. WHITE SOBRE A SAÚDE: FORAM DE DEUS OU DO DR. JACKSON?


Em meados de 1800, a mais proeminente instituição médica nos Estados Unidos que se caracterizava por reformas na dieta e o tratamento dos doentes, estava em Dansville, New York, e era administrada pelo Dr. James C. Jackson. O Dr. Jackson estava à frente da promoção de uma dieta vegetariana de duas refeições diárias; curas por água, e um estilo de vestido reformado para as mulheres.

Notáveis Semelhanças

Ao viajar Tiago e Ellen G. White em meados da segunda metade da década de 1860 promovendo a reforma pró saúde, os Adventistas que estavam familiarizados com os escritos do Dr. Jackson surpreenderam-se da notável semelhança entre o que a Ellen G. White assegurava ter visto em visão e os escritos do Dr. Jackson. Até ela mesma reconheceu esta semelhança numa carta a seus filhos:

“Encontramo-nos aqui com uma senhora que esteve em Nosso Lar em Dansville quando nós estivemos ali. Ela me apresentou a seu esposo. Eles assistiam a nossas reuniões. O pai de vocês dissertou sobre temperança no domingo pela manhã. Ela e seu esposo se sentaram em sua carruagem justamente na parte de fora das cortinas da loja. São gente inteligente e eram os primeiros a chegar ao lugar. Convidaram-nos a visitá-los, e hoje cumprimos com sua solicitação. Ela fez a observação, em relação com o discurso de vosso pai, de que a ela lhe parecia estar a ouvir ao Dr. Jackson outra vez.  Ela se referiu especialmente ao fato de que eu tinha falado na conferência, dizendo que não o tinha esquecido; que tinha sido de grande ajuda para ela desde esse tempo; que lhe tinha beneficiado a ela especialmente." – Carta 3, 1865. (A Edson e Willie White, 13 de Junho, 1865, MR 5, p. 384).

Ellen G. White se Defende

O fato de que as visões da Ellen G. White sobre a saúde se pareçam tanto aos ensinos do Dr. Jackson despertou preocupação na igreja. Ellen G. White admite que a gente "às vezes" lhe perguntava se ela tinha recebido sua "visão" do Dr. Jackson. Suscitou-se tal controvérsia, que Ellen G. White se viu obrigada a se defender publicamente no jornal da igreja:

Pergunta sobre a visão – Recebeu você suas visões sobre a reforma pró saúde antes de visitar o Instituto da Saúde em Dansville, New York, ou antes de ter lido obras sobre o tema?

“Eu não visitei Dansville senão apenas a partir de agosto de 1864, 14 meses após ter a visão. Não li nenhuma obra sobre a saúde até que tive escrito Spiritual Gifts (Dons Espirituais), tomos 3 e 4, Appeal to Mothers (Um Apelo às Mães), e tive escrito os rascunhos da maioria de meus seis artigos para os seis números de How to Live (Como Viver)”.

“Eu não sabia que existisse uma publicação chamada The Laws of Life (As leis da vida), publicado em Dansville, New York. No tempo em que tive a visão mencionada mais acima, eu não tinha ouvido falar das várias obras sobre a saúde, escritas pelo Dr. J. C. Jackson, e outras publicações, em Dansville. Eu não sabia que existissem tais obras até Setembro de 1863, quando em Boston, Massachussetts, meu esposo as viu anunciadas num jornal chamado A Voz dos Profetas, publicado pelo Idoso J. V. Himes. Meu esposo pediu as obras desde Dansville e recebeu-as em Topsham, Maine. Seu negócio não lhe dava tempo para as folhear e, como eu decidi não as ler senão até após houvesse escrito minhas visões, os livros permaneceram em suas embalagens”.

“Ao apresentar eu o tema da saúde a amigos onde eu tinha trabalhado em Michigan, New England, e no estado de New York, e falar contra as drogas e a carne de animais, e em favor da água, do ar puro, e de uma dieta adequada, com freqüência se me fazia a seguinte pergunta: “O que você diz parece-se muito com as opiniões apresentadas em The Laws of Life e outras publicações, pelos Drs. Trall e Jackson, e outros. Você leu essa publicação e outras obras?”

“Minha resposta é que não, e que decidi não as ler senão até após ter relatado por completo e por escrito minhas visões, para que não dissessem que eu tinha recebido minha luz sobre o tema da saúde de médicos, não do Senhor”.

“E, após ter escrito meus seis artigos para How to Live, revisei as várias obras sobre higiene e surpreendeu-me encontrá-las quase completamente em harmonia com o que o Senhor me tinha revelado. E para mostrar esta harmonia, e apresentar a meus irmãos e irmãs o tema como tinha sido apresentado por escritores capazes, decidi publicar How to Live, no qual apresentei extratos das obras em referência”. (Second Advent Review and Sabbath Herald, 8 de outubro de 1867).

Evidência da Conexão entre Tiago e Ellen G. White e o Dr. James C. Jackson

Tiago e Ellen G. White não visitaram a clínica pró saúde do Dr. Jackson senão até Agosto de 1864. Isto ocorreu 14 meses após Ellen G. White afirmar haver recebido sua visão sobre a saúde, em Junho de 1863. Ela assegurou que não conhecia ao Dr. Jackson antes de Setembro de 1863. No entanto, os filhos de Ellen G. White haviam adoecido com difteria em Janeiro de 1863, e nesse tempo foi quando os White se familiarizaram pela primeira vez com os escritos do Dr. Jackson:

Felizmente – na providência de Deus, sem dúvida – tinha chegado a suas mãos, provavelmente através de um "intercâmbio" de jornais no escritório da Review, o Yates County Chronicle de Penn Yan, New York, ou algum diário que o citava, um extenso artigo intitulado “Difteria, Suas Causas, Tratamento, e Cura.” Foi escrito pelo Dr. James C. Jackson, de Dansville, New York. (Early Years, Tomo 2, p. 13).

Claramente, Tiago e Ellen G. White estavam familiarizados com os escritos do Dr. Jackson pelo menos quatro meses dantes da data da visão. De fato, Tiago White reimprimiu o artigo sobre a difteria na edição de 17 de fevereiro de 1863 da Review and Herald.

Em 13 de agosto de 1863, um mês antes de que Tiago White supostamente soubesse algo de Dansville, o Dr. Jackson lhe escreveu desculpando-se pela longa demora em contestar a solicitação do casal White da informação a respeito de seus livros. Parece que Tiago White havia escrito ao Dr. James C. Jackson em algum momento de Junho, porque em dezembro de 1864 disse que 18 meses antes (junho de 1863) fez um pedido a Dansville de alguns livros de Jackson.

Quando chegaram os livros, Ellen G. White assegurou que tinham permanecido em seus invólucros, mas em 12 de dezembro de 1863, Tiago White enviou de Topsham, e por correio, uma cópia do documento Consumption (Consumo), de James C. Jackson, a um amigo, Ira Abbey, que residia em Brookfield, New York. Ainda mais problemático, Tiago White imprimiiu um artigo do livro de Jackson, Laws of Life, na edição de 27 de Outubro da Review and Herald. Parece que essas embalagens foram tiradas pelo menos nove meses antes de que Ellen G. White escrevesse sua visão!

Mais tarde, desenvolveu-se uma relação tão estreita que Ellen G. White pode escrever que foi calidamente recebida como convidada quando visitou o lar do Dr. Jackson:

“No mesmo dia, vi o Dr. Jackson em seu lar e ele amavelmente me concedeu uma entrevista." (Advent Review and Sabbath Herald, 27 de Fevereiro de 1866).

Ainda que o Dr. Jackson conhecesse Ellen G. White muitíssimo bem, nunca a aceitou como profetisa. Após efetuar-lhe um exame médico, atribuiu os raros problemas médicos dela a histeria.

VOCÊ DECIDE: FOI DEU OU O DR. JACKSON?

Perguntas para meditar:
  • Quando foram tirados os invólucros dos exemplares dos livros do Dr. Jackson?
  •  Por que se parecem tanto os escritos dela sobre saúde com os ensinos do Dr. Jackson?
  • Recebeu Ellen G. White seus ensinos sobre a reforma pró saúde mediante leituras e mediante conversas com o Dr. Jackson?
  • Foi Deus ou o Dr. Jackson?

Nenhum comentário: