Somente Cristo! Somente a Bíblia!

"Fiz uma aliança com Deus: que ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer, tanto para esta vida quanto para o que há de vir." - Martinho Lutero
Carregando...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

UM ESPÍRITO RESTAURADO

Althea Andrews
Extraído de Truth or Fables

Introdução por Robert K. Sanders:

Esta é a carta de uma ex-adventista. Tenho permissão de Thea para publicar sua carta. Nela, ver-se-á como a Igreja Adventista do Sétimo Dia lava o cérebro de uma pessoa sem que esta se inteire sequer nesse momento. Sei que isto é verdadeiro com respeito a muitas pessoas que me escreveram. Quando os Adventistas lêem a Bíblia, lêem-na através dos olhos e da interpretação de sua profetisa, Ellen G. White. Por isso, quando lêem a Bíblia, são confundidos quanto ao ensino bíblico e não se dão conta disso. É somente quando abandonam Ellen G. White que vêem a pura Palavra de Deus. Também tenho observado que muitos dos que têm abandonado Ellen G. White têm perguntado: “Como fazemos para entender a Bíblia?” Sem Ellen G. White, os Adventistas perdem seu “intérprete bíblico”. A verdade é que essa foi também minha própria experiência. Minha mente esteve tão revolta com uma dieta da interpretação bíblica de Ellen G. White durante 37 anos que me tomou ao menos dois anos de estudos bíblicos desenrolar todo aquele embrulho. Estamos fora da Igreja Adventista do Sétimo Dia desde 1994 e minha esposa ainda pergunta: “Isso está na Bíblia ou nos livros de Ellen White?”

Teor da Carta:

Querido irmão em Cristo, escrevo-lhe como outro desencantado (nenhuma outra palavra é mais apropriada) membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia a partir de 1977. Eu era uma ávida discípula de Ellen G. White desde 1967.

Antes de ser batizada, meu pastor não me permitiu ler nada que não fosse “O Caminho a Cristo”. Não me permitiu  o acesso à lista dos livros dela porque, segundo ele cria, eu “não estava preparada para eles neste momento”.

Cedo, envolvi-me muito com a Igreja Adventista do Sétimo Dia. Ensinei na classe de Escola Sabatina para adultos e na Escola Bíblica. Fui dirigente dos Missionários Voluntários e participei na Recolta, nas reuniões ao ar livre e todas as reuniões especiais, bem como em enviar a nossos meninos às academias. Apoiava realmente todas as causas possíveis do Adventismo.

Era-nos dada, como que às colheradas, a última palavra da “Intérprete Particular” na lição trimestral. Pelo geral, tínhamos um sermão enlatado no sábado pela manhã e, à tarde, ordenavam-nos sair para estar em contato com a natureza (panteísmo).

Tudo isto ESTÁ CALCULADO METODICAMENTE. É um plano deliberado. Os membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia nunca têm tempo para ler a Bíblia por sua própria conta de capa a capa. Se o fizessem, seus olhos se abririam à verdade e descobririam a falácia de Ellen G. White e a QUEM ela representa.

Após dez anos, tive a oportunidade de deixar o trabalho por um algum tempo e examinar os chamados escritos dela. Após ler a Bíblia inteira e aprender a traçar corretamente a palavra (ainda estou aprendendo), pedi emprestados alguns livros de alguém que vinha de várias gerações de obreiros da Conferência e que tinha as primeiras edições antigas.

Comecei com os nove volumes dos “Testemunhos Para a Igreja”, depois segui com “Primeiros Escritos”, a série “O Conflito dos Séculos”, “Mensagem aos Jovens”, “Ministério de Cura”, “O Lar Adventista”, “Dons Espirituais I e II”, etc, quase tudo o que tinha disponível, do princípio ao fim.

Passava mais de doze horas diárias lendo atenciosamente estas obras, compilando grande quantidade de conceitos absurdos e ridículos, argumentos simples, a maioria deles invenções evidentes e com frequência completas tolices, quase todas dos Testemunhos, bem como muitas surpreendentes e infamantes acusações contra quase todas as pessoas justas apresentadas nas Sagradas Escrituras e até blasfemos envolvimentos contra a Deidade.

Muitas doutrinas flagrantemente falsas, que rodeavam o Movimento de 1844, amontoavam mentira após mentira a respeito de suas falsas e auto-justificantes visões com relação a conspiração entre alguns dos pais fundadores desta seita relativas a doutrina embaraçosamente falsas, tais como purificação do santuário celestial, impossibilidade de se completar a expiação antes de 1844, a porta da graça fechada, não mais salvação por mais de sete anos, mentiras absolutamente abomináveis desde o inferno.

Senti-me, não somente enganada, senão violada psicológica e espiritualmente. Em seguida admiti que, em minha ignorância da Santa Bíblia, tinha sido seduzida para que jurasse que achava que esta Jezabel era a mensageira de Deus para os últimos dias e a igreja remanescente. Quão terrível! Quão asquerosamente repugnante!

Mas, louvado seja Deus porque sua misericórdia dura para todas e a cada uma das gerações! Ele JAMAIS fechou aquela porta nem por um momento e nunca a fechará até que ouçamos o som daquela grande trombeta, a trombeta final daquele grande acordar. “Bendito Jesus, que vem no nome do Senhor”.

Sim. Lendo as formosas, pitorescas e descritivas revelações que estiveram ocultas a todas as gerações da Antiguidade, relatando todos os planos secretos de ambos oponentes, ela nos contou o que tinha nas mentes, nos pensamentos e nos motivos de todas as personagens bíblicas, incluindo os anjos e Satanás. Pôde dizer-nos as palavras exatas das conversas ainda antes da criação deste mundo. Não mais pergunta sem resposta, caso se leia o e “espírito de profecia”. Ela o viu tudo de perto!

Isto certamente tem dado um novo significado à descrição de seu trabalho: “Minha obra envolve BEM MAIS que a de um profeta”.

Vejamos: ...Moisés foi um GRANDE profeta, e o Senhor disse que enviaria outro como Moisés (Jesus). Ele é O Profeta Maior e sua obra inclui bem mais que a de um profeta. O testemunho dEle é o Espírito de Profecia.

Hmmmm... O que ela deduziu exatamente? Ela teria uma obra maior que a de Moisés e a de todos os principais profetas. Parece que ela gostaria de fazer crer a seus discípulos que estava à altura de Jesus se seus Testemunhos fossem o Espírito de Profecia, também. CARAMBA!

Mas o defeito fatal da “pena inspirada” é que, em seus escritos, ela não só se opõe à Palavra de Deus como exalta sua palavra acima do conhecimento do Senhor Deus.

Em 1977, meu esposo e eu tivemos o privilégio de distribuir muitas porções de nossos achados, que documentavam as atrevidas contradições das Escrituras por parte de Ellen G. White, as contradições com seus próprios escritos, bem como suas numerosas profecias falsas. Pusemo-las na referência da biblioteca da Universidade de Andrews e também nos pára-brisas de muitos automóveis no estacionamento da biblioteca.

Por amor e compaixão, sentimos-nos obrigados a advertir a outros, que estão sinceramente procurando a verdade e cujos corações desejam seguir as pegadas de nosso Redentor a respeito deste diabólico, disfarçado e auto-proclamado agente de Deus. Desmascarado tem ficado o fato de que é um pleno agente duplo comissionado pelo mau.

Em 1981, preparava minha antítese doutoral relativa à profetisa dos Adventistas do Sétimo Dia, mas a fiz a deixei de lado quando meu filho se suicidou. Tinha crescido e tinha sido batizado nessa igreja e assistido à Academia Jefferson. Foi ali onde escreveu em seu diário que os Adventistas do Sétimo Dia eram membros da Igreja Satânica de Anton Lavey. Queria escrever um livro para revelar que Ellen G. White “não era profetisa, senão que estava naquela atividade por negócio”.

Queria muito que suas duas irmãs saíssem daquela religião sectária, mas não queria ofendê-las. Expressou-me sua preocupação a respeito de seus sobrinhos e lamentou-se pela rígida disciplina que suportavam, disciplina que não lhes permitia desfrutar de saudáveis diversões infantis por causa do extremismo de Ellen G. White. Suas irmãs tentavam viver segundo a cada palavra que procedia da boca de Ellen G. White, não da boca de Deus.

É suficiente a respeito de meus antecedentes. Agora...

A PERGUNTA

Ela adverte em seus escritos contra a verificação da validade de suas visões, etc., usando táticas intimidatórias com palavra como estas:

“Alguns de vocês poderiam pensar que é uma marca ou uma indicação de grande intelecto pôr em dúvida meus escritos.” (A autenticidade, a confiabilidade e a origem do assim chamado Espírito de Profecia). Estas dúvidas e estes questionamentos são de Satanás. Quando começais a questionar, Satanás os prenderá em suas garras para sempre". Esta não é uma citação, mas o conteúdo significa o mesmo. (1)

Esta advertência sua ainda permanecia aferrada a mim de tanto em tanto por vários anos enquanto eu continuava descobrindo contradições bíblicas procedentes de sua pena, não diferentes da chamada “escritura automática”, que estava em voga durante a década de 1800.

Mary Baker Eddy, da Ciência Cristã; Joseph Smith, do Mormonismo; Anna Lee, dos Shakers; e muitos poetas e escritores, todos contemporâneos de Ellen G. White. Todos aspirantes a ser alguém, a se fazer um nome para si mesmos e todos apresentando um Novo Evangelho. Inspirados por QUEM? Muitos afirmavam ter o dom da “escritura automática”.

Tenho tratado de pesquisar em outros sites a respeito de Ellen G. White, mas sem resultado algum. Em minha ignorância, tenho perguntado aos "zorros" que protegiam aos gansos que punham os “ovos de ouro”.

No livro “Early Writings” (Primeiros Escritos), ela diz que teve uma visão de Deus. Ela registrou a severa advertência que se supõe Deus lhe deu para que a relatasse a outros:

NINGUÉM permita ser hipnotizado, mesmo que aqueles que NÃO se rendem seriamente suas mentes, mas só permitem espontaneamente ao hipnotizador tratar de lhes hipnotizar, saiam proclamando do mesmerizador: “NÃO TEVE NENHUM EFEITO SOBRE MIM.”

“Os homens e as mulheres não devem estudar a ciência de como tomar cativa a mente dos que com eles se associam. Essa é a ciência ensinada por Satanás. Devemos resistir a tudo dessa espécie. Não devemos brincar com o mesmerismo e hipnotismo - a ciência daquele que perdeu seu primeiro estado e foi expulso das cortes celestes.”Medicina e Salvação, págs. 110 e 111.

Agora, no mesmo livro, “Primeiros Escritos” (Pode crer?!), Ellen G. White descreve como desafiou a Deus descaradamente, ao relatar em detalhe como permaneceu sentada voluntariamente enquanto verdadeiro hipnotizador “Dei-lhe então liberdade de magnetizar-me, se pudesse fazê-lo. Ele tentou-o por mais de meia hora, recorrendo a diferentes operações, e então desistiu.” Primeiros Escritos, pág. 21. (Fiel à própria declaração profética dela, TODOS dirão...). Ellen G. White continua: “...DE MANEIRA QUE EM NADA ISTO ME AFETOU.” Primeiros Escritos, pág. 21.

De acordo com sua visão e advertência, ela deve ter apostado de fato sua alma a Satanás, possivelmente sem se dar conta de que era ele quem continuava lhe dando visão e transes à vontade ou pelo menos havia se entregado a espíritos enganosos para pensar que tinha visões e enigmas.

Agora, muitas décadas mais tarde, aquele a quem ela deu a luz ao prestar ouvidos a espírito enganadores e doutrina de demônios, proibindo comer carne e dissuadindo às pessoas contra o casal, entrando em transes hipnóticos à vontade, tem produzido uma camada de víboras que continuam o mesmo modus operandi.

CONTROLE MENTAL NEUROLINGÜÍSTICO PROGRAMADO, NLP

Tudo isto começou, como o confessou pessoalmente Ellen G. White, a própria deusa da Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Primeiros Escritos. Por isto leva o fruto de sua enganadora fornicação com Satanás quando entregou sua alma por dinheiro e fortuna, permitindo ser submetida a controle mental em direta rebeldia e direto desafio contra o que ela afirmava eram as advertências do Todo-poderoso.

Em audiências nos tribunais, os pastores e mestres Adventistas do Sétimo Dia têm confessado abertamente sua culpabilidade das acusações levantadas contra eles e contra a Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia (segundo ela, o mais alto poder espiritual na terra). Tiveram que sair a dar nomes, direção e data em que começou o uso da PNL (Programação Neurolinguistíca) em 1990-1991. Descreveram títulos, autores e o currículo exato que se usa, tudo o qual se denomina a Nova Era.

Ela tem confessado repetidamente: “Durante todo o tempo eu não podia compreender o arrazoamento dos irmãos. Minha mente estava por assim dizer fechada, não podia compreender o sentido das passagens que estudávamos. Esta foi uma das maiores tristezas de minha vida. Fiquei neste estado de espírito até que nos fossem tornados claros todos os pontos principais de nossa fé, em harmonia com a Palavra de Deus. Os irmãos sabiam que, QUANDO NÃO EM VISÃO, EU NÃO COMPREENDIA ESSES ASSUNTOS, e aceitaram como luz direta do Céu as revelações dadas.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 206 e 207.

Minha filha está aqui comigo (está morrendo de medo só de pensar em desafiar alguns dos escritos de Ellen G. White, após trinta e quatro anos lendo e venerando-a). Quando lhe perguntei na semana passada se estava preparada para se desfazer de Ellen G. White, disse que sim.

Isso foi GRANDE! Perguntava-me se ela queria realmente livrar-se do controle mental que a tinha tido amarrado todos estes anos, um controle que lhe havia impedido avaliar os escritos de Ellen G. White em comparação com a Palavra de Deus.

Bem, ontem, quando transferi o material de seu site (que está tão bem desenhado e é tão honestamente valoroso!), esse demoníaco espírito familiar de Ellen G. White estava aqui para levantar sua feia cabeça e exclamar: "PRIMEIRO, tens que me mostrar em seus escritos onde diz ela... (isto estava fora de lugar pelo que concerne à minha cooperativa filha, que normalmente fala com maciez e cortesia).

A PERGUNTA ACIMA (advertência contra descartá-la)

Ela sabe que em minha casa não há nenhum livro de Ellen G. White, exceto “O Grande Conflito”, que eu não tenho acesso a nenhum livro de Ellen G. White nestes dias e que, portanto, não poderia mostrar-lhe nem a página nem o parágrafo para que os visse com seus próprios olhos. De modo que... no momento, fim da discussão. Eu teria que guardar silêncio e não poderia seguir adiante para pôr à prova a Ellen G. White.

Só tratei de ler as porções de Deuteronômio relativas à prova de um profeta. Imediatamente, enojou-se muito por lhe ter lido a Palavra de Deus e disse-me que, se eu continuasse, teria que sair de casa, que não iria escutar nada a não ser que eu pudesse mostrar-lhe, de antemão, em que livro estava escrito o que eu havia mencionado.

Saiu apressadamente, sem abrigo, apesar do frio que fazia lá fora. Estava em estado quase de pânico, sem ter a onde ir, exceto o automóvel, onde permaneceu sentada por quase sete horas, para não escutar a Palavra de Deus em uma casa aquecida e com comida e bebida.

Peço, por favor, alguém seguramente familiarizado com esta ameaça, que impede que os membros da seita ponham à prova Ellen G. White, diga-me onde encontrar o lugar, possivelmente “escanear” a página, e enviarme. Isso seria absolutamente maravilhoso.

Espero sua reposta ansiosamente e com oração. Obrigado por seu tempo.

Shalom,

Thea

Apêndice do blog (citações de Ellen G. White sobre a inspiração infalível de seus “Testemunhos”:

Quando encontrardes homens pondo em dúvida os testemunhos, criticando-os, e procurando desviar o povo de sua influência, estai certos de que Deus não está operando por meio deles. É outro espírito. Dúvidas e incredulidades são acariciadas pelos que não andam ponderadamente. Têm uma dolorosa consciência de que sua vida não resiste à prova do Espírito de Deus, quer falando pela Sua Palavra, quer mediante os testemunhos.” – Mensagens Escolhidas, Vol. 01, pág. 45.

 “É o plano de Satanás abalar a fé do povo de Deus nos Testemunhos. Satanás sabe como dirigir seus ataques. Começa por influir sobre os espíritos de modo a despertar neles ciúme e descontentamento em relação aos que têm a direção do trabalho. Discutem-se, pois os dons, resultando daí serem eles amesquinhados, e acaba-se por desconsiderar as instruções dadas por meio de visões. Segue-se então o ceticismo com relação a pontos vitais de nossa fé, os sustentáculos de nossa posição; vem depois a dúvida sobre as Escrituras Sagradas, e, finalmente, a marcha definitiva para a perdição. Quando os Testemunhos, em que uma vez se acreditou, são postos em dúvida e rejeitados, Satanás sabe que os iludidos não se deixarão ficar por aí; e redobra de esforços até que os arraste a uma rebelião declarada...” – Testemunhos Seletos, Vol. 02, pág. 287.

“...começais a duvidar de que os Testemunhos sejam de Deus. Se obedecêsseis aos seus ensinos, adquiriríeis a certeza de sua divina origem... Muitos que se desviaram da verdade, alegam como motivo de seu procedimento o fato de não crerem nos Testemunhos.” – Testemunhos Seletos, Vol. 02, pág. 289.

Satanás tem a habilidade de sugerir dúvidas e suscitar objeções aos incisivos testemunhos enviados por Deus, e muitos julgam ser uma virtude, um sinal de inteligência de sua parte, ser incrédulos...” – Testemunhos Seletos, Vol. 01, pág. 330.

Nenhum comentário: