Somente Cristo! Somente a Bíblia!

"Fiz uma aliança com Deus: que ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer, tanto para esta vida quanto para o que há de vir." - Martinho Lutero
Carregando...

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O Mito da Reforma Pró-Saúde

Reformadores Pró-saúde Antes de Ellen G. White

Ellen White Foi Realmente Avançada Para Sua Época?


Contrariamente ao mito popular, a Sra. White trouxe ao mundo poucas novas reformas sobre a saúde, se é que trouxe alguma. A maioria de seus ensinos sobre a saúde, se não todas, estavam a ser fomentadas por outros reformadores populares pró-saúde antes que ela começasse ensiná-las.

As Reformas Pró-saúde da Sra. M. L. Shew

Em 1844, 19 anos inteiros antes da primeira "visão" da Sra. White sobre a reforma pró-saúde, a Sra. M. L. Shew publicou a terceira edição de um livro de 156 páginas sobre a reforma pró-saúde titulado Water Cure for Ladies: A Popular Work on the Health, Diet, and Regimen of Females and Children, and the Prevention and Care of Diseases [Cura Pela Água Para Damas: Uma Obra Popular Sobre a Saúde, a Dieta, o Regime de Mulheres, Meninos, a Prevenção e o Cuidado das Doenças]. Nele, a Sra. Shew ensina que:

• O álcool é um veneno mortal.

• As medicinas a base de drogas são "das mais perniciosas."

• O sal deve ser eliminado da dieta.

• As especiarias, como a mostarda, a pimenta e o vinagre são "perniciosas."

• O chá é "um dos venenos mais destruidores."

• O fumo é um veneno muito poderoso.

• O banho diário, o exercício e o ar puro são importantes para a boa saúde.

• Deve usar-se creme de leite em vez de manteiga.

• Uma dieta vegetariana contribui para saúde.

• É difícil para o corpo digerir o queijo.

• As refeições devem estar separadas por um período de seis horas. Duas refeições ao dia são "melhores para pessoas sedentárias."

• O pão é "o sustento da vida." O pão recém assado não deve ser comido enquanto ainda está quente.

Confira aqui o livro on-line: CLIQUE AQUI

Para baixar o livro acima citado, no formato pdf (5,29Mb): CLIQUE AQUI

As Reformas Pró-saúde de Sylvester Graham

Sylvester Graham, em seus Lectures on the Science of Human Life [Conferências Sobre a Ciência da Vida Humana], (publicado em 1849) comentava sobre o seguinte:

• Evitar os alimentos estimulantes e não naturais, vivendo "inteiramente dos produtos do reino vegetal e a água pura."

• A manteiga devia ser usada "muito moderadamente."

• O leite fresco e os ovos eram vistos com maus olhos, mas não proscritos.

• O queijo era permitido somente se fosse suave e sem ser envelhecido.

• Os condimentos e as especiarias, como a pimenta, a mostarda e a canela, eram proibidos por serem todos "altamente estimulantes e esgotadores."

• O chá e o café, como o álcool e o fumo, envenenavam o sistema.

• Os produtos de pastelaria, com exceção dos pastéis de fruta, encontravam-se "entre os mais perniciosos artigos que causam mal-estar nos seres humanos."

• O sono era preferível antes da meia-noite.

• Devia-se dormir numa habitação bem ventilada.

• Era desejável um banho com esponja todas as manhãs.

• A roupa não devia restringir os movimentos.

• "Toda medicina, como tal, é em si mesma um mau."

(Veja-se Lectures, pp. 224-286).

Ademais, Graham opunha-se tanto ao excesso marital como à masturbação. Graham achava que os alimentos estimulantes despertavam as paixões sexuais. Portanto, chegou à conclusão de que uma das melhores maneiras de controlar o desejo sexual era adotar uma dieta vegetariana e abandonar os condimentos, as especiarias, o álcool, o chá e o café. (Lecture to Young Men on Chastity [Conferência para os Jovens Sobre a Castidade] , pp. 83, 144-148).

Esses documentos podem ser acessado no seguinte endereço: CLIQUE AQUI

Para baixar o arquivo no formato pdf (48,5Mb): CLIQUE AQUI

Dio Lewis Propõe Duas Refeições ao Dia

Na década de 1850, Dio Lewis era um conferencista sobre a reforma pró-saúde conhecido em todo o país. Ensinou muitas das mesmas coisas que Graham, mas lhe acrescentou a reforma de comer somente duas refeições ao dia.

Para acessar os documentos sobre o assunto acima: CLIQUE AQUI

O Reformador Millerista Larkin Coles

Larkin B. Coles era menos conhecido que Graham ou Lewis. No entanto, é de especial interesse para os Adventistas porque era um médico-pregador Millerista. Antes de sua morte em 1856, escreveu dois livros sobre a saúde. Em seus livros, ele defendia o ar puro, o exercício, a dieta vegetariana, a abstenção de estimulantes, a reforma no vestido, a pureza sexual e a medicina sem drogas. Vários dos escritos da Sra. White sobre a reforma pró-saúde são notavelmente similares aos escritos de Coles.

Coles não somente advertiu contra o consumo de carne porque esta aumentava a inclinação ao instinto animal, senão que também comentou a relação entre o consumo de carne e as doenças. Foi notável por fazer soar o alarme (que outros reformadores já tinham feito soar antes) de que havia uma relação entre o uso do fumo e os carcinomas. (The Beauties and Deformities of Tobacco-Using [As Belezas e Deformidades do Uso do Fumo], 1853, p. 142).

Para acessar documentos sobre Larkin Coles: CLIQUE AQUI

Para baixar os arquivos de Larkin Coles (37,8Mb): CLIQUE AQUI

Ellen White e a Reforma Pró-saúde

Ellen White "chegou tarde" para a reforma pró-saúde. Enquanto ela não recebeu sua primeira "visão" sobre a reforma pró-saúde senão até 1863, já para começos da década de 1850 o movimento da reforma pró-saúde estava em seu apogeu nos Estados Unidos. Os conferencistas sobre saúde e temperança viajavam por todo o país, falando em igrejas e salas de reunião, promovendo uma dieta vegetariana e advertindo contra o álcool, o fumo, e os espartilhos. Uma década inteira antes que a Sra. White recebesse sua primeira "visão" sobre a reforma pró-saúde, os mais salientes princípios de seus ensinos sobre a saúde estavam a ser ensinados por cruzados pró-saúde cristãos não Adventistas e conhecidos em todo o país.

A Primeira Tentativa de Ellen G. White Em Favor da Reforma Pró-saúde

A primeira tentativa da Sra. White em favor da reforma pró-saúde foi um livro chamado Appeal to Mothers, publicado em 1864. Do mesmo modo que os esforços de Sylvester Graham duas décadas antes, a Sra. White decidiu que os membros de sua igreja precisavam ser advertidos a respeito dos perigos da masturbação para a saúde. Na primeira página ela adverte do assombroso número de mortes causadas pela masturbação.

Observou você a assombrosa mortalidade entre os jovens? (Appeal, p. 5).

De acordo com a Sra. White, a masturbação não somente causa a morte e uma ampla gama de doenças físicas, senão que causa problemas de saúde mental também:

Com freqüência a mente fica por completo arruinada, e sobrevem a loucura. (Appeal, p. 27).

Desnecessário dizer que Appeal to Mothers já não está disponível. Como tantos de seus outros escritos e visões que resultaram errados, este livro simplesmente desapareceu da vista do público.

Tentativas Posteriores

Ainda que ela nunca adquirisse a fama no terreno da reforma pró-saúde tal a que atingiu sua colega profetisa Mary Baker Eddy – de cujo primeiro livro, Science and Health, publicado em 1875, venderam-se mais de 10 milhões de cópias – as tentativas posteriores da Sra. White tiveram mais sucesso. Com a ajuda de sua equipe de escritores e editores profissionais, ela produziu um livro sobre a reforma pró-saúde muito melhor, o qual está disponível hoje em dia: Ministério de Cura.

Mary Baker Eddy, Science and Healt, 1875

A oração não pode mudar a ciência do ser, mas tende a nos pôr em harmonia com ela. (p. 1).

... moldar-nos-á e configurar-nos-á novamente, até que acordemos em Sua semelhança. (p. 4)

Suas imperfeições e sua impureza sentiram a sempre presente censura de sua perfeição e sua pureza. (p. 52).

Para acessar o livro de Mary Baker Eddy, publicado em 1875: CLIQUE AQUI


Ellen G. White (publicado no século 20)

A oração não é para efetuar nenhuma mudança em Deus; é para nos por em harmonia com Deus. (Christ´s Object Lessons [Lições Práticas do Grande Mestre], p. 143, 1900).

Então nos moldará e configurar-nos-á segundo a semelhança divina... (Signs of the Times, 11/3/1903).

Sua presença era uma censura para todas as coisas errôneas e depreciáveis. À luz de Sua pureza, os homens se viam a si mesmos impuros... (Education, p. 79, 1903).


Ver livro do Dr. Ronald Numbers, Prophetess of Health: Ellen G. White and the Origins of Seventh-Day Adventist Health Reform [Profetisa da Saúde: Ellen G. White e as Origens da Reforma de Saúde Adventista Sétimo Dia]

O qual pode ser adquirido no seguinte endereço: CLIQUE AQUI
(A idoneidade do autor, Ronald Numbers, pode ser conferida clicando no endereço abaixo:


Para ver artigo na revista Time, clique no link abaixo:

Nenhum comentário: