Somente Cristo! Somente a Bíblia!

"Fiz uma aliança com Deus: que ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer, tanto para esta vida quanto para o que há de vir." - Martinho Lutero
Carregando...

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Os Adventistas do Sétimo Dia e a Doutrina da Trindade

O que criam na verdade os pioneiros do adventismo e porque mudaram


*por Juliana Fragetti

Quem conhece hoje os Adventistas do Sétimo Dia (doravante ASD), e tem contato com a literatura atual deles, jamais imagina que em algum momento da história deles como organização religiosa, eles não tenham abraçado da forma atual a doutrina da Santíssima Trindade.

Se você conversar hoje com pastores ASD, verá que eles serão enfáticos em dizer a você que crêem na Trindade e irão logo mostrar a literatura atual da IASD. Será que essa é a verdade sobre a doutrina deles? Será que eles sempre creram na Trindade, ou foi uma mudança para serem mais bem vistos e menos rejeitados? Eles dirão que não, que Ellen G. White cria na Trindade. E tentarão fazer com que você acredite que sempre creram assim.

Essa, porém, não é a verdade. Eles mudaram radicalmente. Eles não criam desde o início assim como veremos, com provas. A doutrina da Trindade veio a ser oficialmente aceita e confessada nos círculos adventistas somente em 1980! E pese-se na balança o fato de que tudo começou em 1844. Em 1863 eles se organizaram oficialmente. E porque só em 1980 a Trindade foi aceita? Não é algo estranho?

Isso se torna mais estranho ainda, quando Ellen G. White (doravante EGW) deixou o seguinte escrito como admoestação aos crentes ASD:

"Quando o homem vier para mudar um alfinete do fundamento que Deus estabeleceu por seu Espírito Santo, permita que os homens de idade que foram os pioneiros no nosso trabalho falem claramente, e permitam aqueles que estão mortos também falem, re-imprimindo os seus artigos em nossas revistas. Focalize os raios da divina luz que Deus tem dado, como Ele tem guiado seu povo passo a passo no caminho da verdade. Essa verdade prevalecerá no teste do tempo e da experiência” MS 62, 1905

Onde encontraremos segurança senão nas verdades que o Senhor nos deu nos últimos cinqüenta anos? Counsels to Writers and Editors, pág. 53.(escrito em 1903)

Percebem? Não devia ser mudado nada do que eles receberam por fundamento. EGW escreveu isso já bem idosa (ela morreu em 1915). Ou seja, não devia haver mudança no que foi ensinado.

Como ocorreu essa mudança então? Você deve estar perguntando como isso foi feito sem a anuência dela. Ocorre que havia um grupo que estava querendo mexer em algumas coisas. Mas eles, conhecendo sua profetisa, e também a posição dos pioneiros, não se atreveram a fazer algo, sem que eles já não constituíssem mais problemas, ou seja, tivessem morrido.

Alguém pode objetar: “Ora, mas será que eles (os pioneiros) eram tão radicais assim quanto à Trindade, a ponto dessas pessoas esperarem eles falecerem para propor mudanças?” Sim eram. Vamos dar uma olhada no que os pioneiros do movimento escreveram.

James White (ou Tiago White), marido de EGW, e três vezes presidente da Conferência Geral, órgão máximo na IASD se expressou nos seguintes termos:

"Eles tornarão seus ouvidos para longe da verdade e se voltarão para fábulas... aqui temos que mencionar a trindade, que contraria a personalidade de Deus e seu filho Jesus Cristo." (artigo publicado em 1855 na Review and Herald, sob título "Preach the Word")

J. N. Loughborough

Em resposta à pergunta: Qual objeção séria tem aí à doutrina da Trindade? Loughborough escreveu: “Existem muitas objeções que devemos enfatizar, mas devido ao nosso pequeno espaço devemos reduzir às 3 seguintes:

1. É contrária ao senso comum. (a trindade)

2. É contrária às Escrituras.

3. A sua origem é pagã e fantástica.”


R. F. Cottrell

Em um artigo sobre a Trindade, Cottrell escreve: "Para acreditar na doutrina da trindade não é mais que uma evidência do mal como a intoxicação do vinho com que as nações se embebedaram. O fato é que essa foi uma das principais doutrinas, senão a mais importante com que o bispo de Roma foi exaltado ao papado, o que não diz muito a seu favor."

Bem, daí podemos tirar uma certeza: a Trindade não era uma das “verdades” que haviam sido dadas nos dias de EGW e dos pioneiros. Percebe-se portanto, que os pioneiros do adventismo eram semi-arianos.

Uma observação interessante, é que de 1889 até 1914, pode-se vasculhar todos os “Year Book” desse período que se verá claramente que não há qualquer menção da doutrina da Trindade.

A essa altura o leitor pode estar se perguntando como aconteceu mudança tão radical. Vamos a George R. Knight, Professor de História da Igreja Adventista na Andrews University. Ele é autor do livro "Search for Identity". Vejamos o que ele revela.

"Esta década (n.a.:1940) por exemplo, testemunhamos o esforço por parte de alguns em "limpar" e concertar a literatura e as publicações Adventistas. Três áreas ilustram essa tendência. A primeira preocupação era a Trindade. Como mostramos nos prévios capítulos, os Pioneiros Adventistas eram em grande parte anti-Trinitarianos e semi-arianos." (pág. 152)

Interessante... Ele revela que por volta de 1940, ou seja após EGW, ter morrido, e também os principais pioneiros. Lembrem de que ela foi das últimas a morrer, sendo que tinha 17 anos em 1844. Os demais não eram tão moços. Uriah Smith mesmo morreu em 1903. Foi também em 1940, porque o filho de EGW havia morrido em 1937, e eles também temiam o testemunho dele, pois ele sabia do que a mãe cria e ensinava, e certamente não permitiria alterações nos livros dela a esse respeito.

Ele também revela no livro, que as obras de Uriah Smith foram tiradas de circulação do meio adventista (somente os adventistas do movimento de reforma ainda publicam algumas coisas dele) porque ele escreveu coisas assim: "Deus unicamente é sem um começo. Na mais remota época como um começo poderia ser, - um período tão remoto que para as mentes infinitas é essencialmente a eternidade, - surgiu a PALAVRA." ( Parafraseando Jesus em João 1:1)

Mas ainda que alguns livros dele continuassem a circular, sabe-se que declarações desse teor foram censuradas.

Mais uma coisa interessante para fundamentar isso é o testemunho do marido de EGW na Review and Herald de 7 de Fevereiro de 1856, que por sinal era a maior (e porque não, única) revista adventista da época:

"A grande falta da Reforma foi que os reformadores pararam de reformar. Se tivessem levado avante, não teriam deixado nenhum vestígio do papado atrás, tal como a natural imortalidade, batismo por aspersão, a trindade, a guarda do domingo, e a igreja agora estaria livre de erros escriturísticos."

O redator dessa revista era Urias Smith e os editores correspondentes: J.N.Andrews, James White, J.H.Waggoner, R.F.Cottrell e Stephen Pierce. A publicadora deles era em Battle Creek, Michigan. Percebam portanto que se tratava não somente da voz e opinião de Tiago White, mas de todos os pioneiros como vimos. Como estávamos vendo essa mudança começou somente após as pessoas que pudessem contestá-la morrerem.

Porque essa mudança aconteceu? Se EGW escreveu que nem um alfinete deveria ser mudado? O motivo era simples. Queriam parar de serem vistos como uma seita herética, à semelhança dos Testemunhas de Jeová. Com o detalhe de que os TJ´s saíram do adventismo. Portanto, a posição de Russel quanto a Trindade era normal no seio ASD. Mas a liderança posterior do movimento não estava mais disposta a ser mal-vista pelo mundo cristão. Precisavam fazer uma média, uma concessão para que as pessoas tivessem menos aversão a seus ensinos.

Mas ainda faltava um posicionamento oficial. E isso eles fizeram em 1980. Pois isso só pode ser feito numa reunião de Conferência Geral (órgão máximo da IASD). Em 1980 na assembléia da Conferência Geral de Dallas no Texas, apresentaram o livro das 27 doutrinas ASD (Nisto Cremos, Casa Publicadora Brasileira) já com a Trindade incluída como se tivesse sido sempre assim que eles creram.

Isso é uma falsidade! Somente pelo fato de quererem parecer mais “inofensivos” à comunidade evangélica, mudam grosseiramente a doutrina e querem que nós creiamos que sempre foi assim. E isso não é verdade! Querem que creiamos nisso, para que o adventismo seja menos repulsivo ao povo evangélico de forma geral. Para que eles tenham maior circulação em nosso meio. Não permitamos tal coisa! Se confrontados com essa verdade, eles virão a você dizendo que a luz e a revelação de Deus vêm de forma gradual!

Você deve estar se perguntando como algo dessa proporção passou em branco para a comunidade ASD no mundo. Realmente é digno de nota. Muitos ASD têm se levantado contra isso. E isso tem dado uma discussão e tanto... E tem se dado um embate absurdo entre adventistas que querem manter o que os pioneiros do adventismo criam e a liderança da IASD. A conseqüência, é que está havendo um racha no meio adventista por causa disso. Até mesmo existe um site na Internet feito por dissidentes que tem por único objetivo provar que a doutrina da Trindade não fazia parte das doutrinas dos pioneiros. Lembrem-se que as seitas não admitem ser questionadas por nada, quanto mais por mudanças em suas crenças. E isso tem acontecido no seio da IASD.

Uma perguntinha: como a Igreja Adventista pode proclamar que é a igreja remanescente, se por mais de 80 anos, o movimento não acreditava oficialmente na doutrina da Trindade? Se a igreja IASD era realmente a igreja remanescente, porque demorou tanto para oficialmente fazer da Trindade uma Crença Fundamental, embora declarem que Ellen White sempre acreditou na Trindade? É algo para se pensar...

*Juliana Fragetti Ribeiro Lima é ex-Adventista. Convertida ao evangelho há 5 anos, é ceramista e dedica-se à Teologia e em especial à apologética, com o objetivo de trazer a público a verdade sobre o adventismo.

Nenhum comentário: